De quem é a responsabilidade sobre a formação de professores?

Como o debate entre colegas e a prática da formação continuada podem transformar a qualidade de ensino das escolas

Na educação é imprescindível que o profissional se proponha a buscar uma constante atualização, esteja ele atuando em sala de aula ou na gestão. Conhecer novas metodologias de ensino, desenvolver práticas pedagógicas eficientes, descobrir habilidades e competências que potencializam seu desempenho dentro de uma escola, lidar com novas gerações e tecnologias, além das relações interpessoais, são alguns dos desafios deste segmento.

Esta iniciativa depende de cada profissional, mas a escola desempenha um papel importantíssimo nessa jornada.

Elvira Brandão como uma escola formadora

O Colégio Elvira Brandão é uma instituição aprendente e formadora. Por este motivo, desenvolve e oferece aos seus educadores uma série de formações que partem das necessidades reais do cotidiano escolar, valorizando o saber e a experiência de cada um.

A partir de uma matriz de competências do educador, cocriada pela escola e pelos próprios colaboradores, na qual consta o que se espera de um educador dessa escola, cada profissional faz uma autoavaliação e escolhe os cursos que estejam mais alinhados com suas demandas de desenvolvimento pessoal e profissional.

Esta matriz é composta de 36 competências, tais como:

  • Desenvolver a construção dos roteiros de casa, desde a concepção, resolução e devolutiva da correção.
  • Entender, aplicar, avaliar e julgar a eficácia dos processos pedagógicos.
  • Ter domínio da cultura de inovação no Elvira e aplicá-la no planejamento.
  • Usar as plataformas adaptativas, fazer análise de dados e propor intervenções personalizadas.
  • Desenvolver novas práticas com metodologias ativas e atentos ao VAC.
  • Entender, aplicar, avaliar e julgar a eficácia dos projetos.
  • Conhecer a BNCC e saber trabalhar por habilidades e competências.

Entre outras.

Para desenvolver essas competências, o Colégio criou cursos mediados pela própria equipe da escola que fazem parte de uma rede colaborativa de cursos de formação, chamada de Fractal.

O que é o Fractal e como essa formação se iniciou no colégio?

Até o ano de 2018, boa parte dos cursos formativos do Elvira era responsabilidade dos próprios membros da gestão. Alguns educadores ainda não tinham experiência em como pôr em prática as noções inovadoras de metodologia ativa e cultura maker que norteiam os ideais da instituição.

“Para os professores conseguirem trabalhar com os pilares da escola, entendendo as suas atmosferas, existe uma série de saberes que até aqui não se fizeram necessários no percurso deles”, explica Andrezza, “e seria injusto cobrar isso sem oferecer formação”.

Partindo disso, foi criado o Fractal, uma rede colaborativa de cursos de formação profissional.

Este ano, Andrezza e Lu Gama ainda ajudam com a organização, mas toda a escola está envolvida, a fim de que todos possam se entender como formadores. Para ministrar um curso no Fractal, basta ter uma habilidade ou competência que a pessoa saiba fazer muito bem e esteja disposta a compartilhar com os outros, o que inclui desde práticas em sala de aula até temas sobre desenvolvimento pessoal.

Os cursos para formação dos educadores costumam ser restritos à equipe da escola, no entanto há também cursos oferecidos à comunidade de profissionais de educação em geral, contando com a participação de outras escolas e até das famílias do Elvira.

Atualmente, muitos dos educadores e gestores do Colégio já atuam como formadores.

Somadas à formação, temos as células…

As células são formações de aprofundamento inseridas no conjunto de ações de desenvolvimento da equipe da escola, ministradas pelos parceiros Google, Nave à Vela e Electi.

Este ano, três células estão acontecendo, com encontros quinzenais. São elas:

Google For Education
Esta célula é proposta principalmente aos educadores do 9º ano do Fundamental II ao 3º ano do Ensino Médio que precisam da Certificação Google.

Maker
A célula Maker é oferecida pelo parceiro Nave à Vela e contribui na formação de educadores que querem inserir a tecnologia e a cultura maker em sala de aula.

Facilitação
Já a célula de facilitação, oferecida pelo parceiro Electi, vem propor ao educador ferramentas que o auxiliam em sala, de modo que ele atue não somente como um professor detentor do saber, mas sim como um mediador, um facilitador daquele aprendizado.

A participação parte de um convite feito ao educador, que escolherá quais dessas iniciativas contribuirão mais para o seu desenvolvimento.

Institucional , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X